Violencia no Esporte: Jogadores protagonizam pancadaria, e partida é suspensa na Argentina

Amistosos na Argentina nem sempre são levados ao pé da letra. Na última semana, no clássico entre Boca Juniors e River Plate, os ânimos se exaltaram e o confronto terminou com cinco expulsões. Desta vez, foi ainda pior. Na partida entre os times de La Plata, o Estudiantes vencia o Gimnasia por 1 a 0 quando, nos acréscimos, a pancadaria tomou conta do gramado. Jogadores trocaram socos e pontapés e o jogo precisou ser suspenso antes do fim.

+ Confira o vídeo com a confusão entre jogadores de Estudiantes e Gimnasia

O clima já não era dos melhores na arquibancada. No intervalo, a torcida do Gimnasia provocou a torcida do Estudiantes mostrando diversas bandeiras do rival. Por causa disso, o segundo tempo demorou dez minutos a mais para ser iniciado. Com a bola rolando, o problema voltou a acontecer e o árbitro novamente interrompeu o confronto até que os torcedores se acalmassem e encerrassem as provocações.

Em campo, os jogadores também mostravam uma força desnecessária nas divididas. Álvaro Pereira, ex-São Paulo e da jogador da seleção uruguaia, levantou demais o pé e acertou a cabeça de Facundo Oreja, do Gimnasia. O lance gerou muita reclamação, mas a partida seguiu. O estopim para a confusão, então, veio já nos acréscimos. Santiago Ascacibar, do Estudiantes, deu carrinho por trás em Antonio Medina. Os jogadores do Gimnasia foram tirar satisfações e, mesmo com a expulsão de Ascacibar, a confusão se instaurou. Atletas do banco de reservas se envolveram e muitos socos e pontapés foram vistos até a intervenção policial.

Pancadaria entre jogadores de Estudiantes e Gimnasia na Argentina (Foto: Reprodução / Youtube)

Após a pancadaria, o árbitro Silvio Trucco chamou os capitães das equipes e, segundo o jornal Clarín, pediu que fossem adultos, saudassem suas torcidas e se retirassem de campo. Os atletas fizeram o combinado e o confronto, então, foi efetivamente suspenso.

O ex-jogador do Estudiantes e da seleção da Argentina, Juan Verón, comentou os incidentes ao canal oficial do clube no Twitter:

– Não era para ter desencadeado uma reação assim. Temos que fazer uma mea-culpa. Estas são coisas que não podem acontecer. São coisas que não se pode fazer. Cada um, em seu lugar, tem que ter cuidado. Isso não serve para nada. Lamentavelmente partiram para resolver na mão. É preciso saber que não se chega a lugar nenhum assim – disse La Bruja.

Jornais argentinos repercutiram o incidente em La Plata. O Olé, um dos principais jornais esportivos do país, chamou a partida de “Escândalo do ano” e rotulou a briga em campo como “papelão” dos jogadores. Em sua capa, na edição de segunda-feira, emplaca: “Selvagens”. O periódico ainda pediu que os envolvidos sejam investigados e que sanções duras sejam aplicadas aos clubes.